Lameblogadas

sexta-feira, janeiro 28, 2005



Terrinha dos antepassados

Uma visita ao blog da Monica Ramalho me fez viajar no tempo e lembrar do show do Madredeus, que assisti com a minha mãe na praia de Icaraí há alguns anos. Noite inesquecível.

Essa música agora não me sai da cabeça...


O Tejo (Pedro Ayres Magalhães e José Peixoto)

Madrugada,
Descobre-me o rio
que atravesso tanto
para nada,

E este encanto,
prende por um fio,
é a testemunha do que eu sei dizer.

E a cidade,
chamam-lhe Lisboa,
mas é só o rio
que é verdade,
só o rio,
é a casa de água,
casa da cidade em que vim nascer.

Tejo, meu doce Tejo, corres assim,
corres há milénios sem te arrepender,
és a casa da água onde há poucos anos eu escolhi nascer.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home