Lameblogadas

sexta-feira, julho 07, 2006

Pela terceira eleição seguida, a campanha começa para mim na Central do Brasil. E sempre num horário ingrato: em 2002, ainda trainee, cheguei às 6h, junto com a candidata Rosinha Garotinho. Desconhecida do público, ela era apresentada aos passantes como "a candidata do restaurante popular, do piscinão, a secretária do cheque-cidadão, mulher do governador Anthony Garotinho." Dois anos depois, o bispo Marcelo Crivella também escolheu a Central para dar o pontapé inicial na campanha. Lá estava eu, também às 6h, para acompanhar a panfletagem e o corpo-a-corpo do senador que concorria à Prefeitura. Este ano, pude chegar uma hora mais tarde: 7h, para acompanhar Vladimir Palmeira. Mas o corpo-a-corpo nunca acaba ali: os candidatos, ansiosos para chegar ao Palácio Guanabara e cheios de gás ainda no início da campanha, caminham o dia inteiro atrás de votos. E nós vamos atrás.

No segundo dia, estou muito cansada. Ontem, depois da Central, fui a Niterói de barca (enquanto o candidato petista partia de táxi), voltei para a Praça XV, andei até a Candelária, encontrei a claque do PSOL e a senadora Heloísa Helena, andei de lá até a Cinelândia, no meio da Rio Branco, ouvi discursos intermináveis contra o neoliberalismo, o PT e o PSDB, almocei em dez minutos, voltei para o jornal, escrevi matérias para o online do Globo, para o impresso, tive uma enxaqueca, voltei pra casa pela Ponte, de ônibus, enfrentei um engarrafamento sem hora para acabar, tomei uma Neosaldina e tentei dormir. Foi difícil...

Hoje, acordei cedo, peguei a Barca, subi ao 30º andar do Assembléia, 10, para visitar meu ex-trabalho, depois dois lances de escada para entrevistar o senador Sérgio Cabral no COB, desci, me dei conta que perdi minha AGENDA COM TODOS OS TELEFONES DAS FONTES, fui para o Saara, almocei com o Eduardo Paes no Cedro do Líbano, entrevistei o tucano, caminhei pelo Saara com ele, ouvi seus cabos eleitorais gritarem musiquinhas, voltei para o jornal, comi biscoitos, escrevi matérias, flashes para o online, entrevistei Cabral de novo por telefone, liguei para o TRE, ofereci nota para a coluna do Ancelmo, coloquei minhas matérias na fôrma, dei título e agora quero ir embora!!!!

Mas antes pequenos comentários:

* A campanha do PT parece um túnel do tempo: Vladimir sendo mostrado como o líder estudantil, mas com quilos a mais e cabelos brancos que o deixam parecido com o Cid Moreira. E Bittar? Estava lá ontem, com a sua insignificância. Só não parece o Alckmin do Rio porque nem governo fez aqui. "Oi, eu sou o Bittar, candidato à Prefeitura. Vote em mim!" NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

* Eduardo Paes mostra que aprendeu com o mestre Cesar Maia, de quem já foi pupilo: beija os eleitores, faz pose para os fotógrafos, subindo em carrinho de mercadoria, pegando criança no colo e fazendo qualquer coisa para ficar bem na foto!!! Cumprimentou eleitora paraguaia, chamou uma vendedora de cigana e posou para fotos com moças inglesas. No Saara, falou em três línguas diferentes e ainda me respondeu: "falo qualquer língua para conseguir um voto".

* Sérgio Cabral faz pose de bom moço. Atacado pelo prefeito, diz que dará as mãos a ele. Com pinta de favorito, está fazendo campanha em escritórios. Mas quando vai à rua, como aconteceu hoje na Central, às 7h, já dá autógrafos. MEDO!!!

2 Comments:

  • Pô melhor do que acompanhar o dia a dia dos candidatos pelos jornais e acompanhar pelo seu blog. Cheio de emoção! Mantenha-nos em dia com a notícia, Claudinha. Beijos!!

    Ps. Vc pode me mandar um email, porque quero te fazer um pedido e não estou encontrando o seu?

    By Anonymous Juli Mariano, at 7:28 PM  

  • "Bittar estava lá, com sua insignificância". Sensacional, Claudinha!

    By Anonymous Marcelo, at 10:58 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home